quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Ratoeiras


                                                            
 
 


                                                                                                                                                  
      Malaquias desce apressado a alameda. Está decidido, não irá repetir mais o erro cometido em tantos anos. Pela última vez informará a Joel sua resolução. Este dirá tratar-se de uma situação sem saída, mas não o impedirá. Haviam perdido o controle das coisas, a desestruturação fazia parte do cotidiano.
     Tudo começou com o aumento populacional, incentivado pelo mito da existência de muitas áreas desabitadas. Em poucos anos as fronteiras foram derrubadas e institui-se o estado de guerrilha. Nas cidades decadentes, os bandos urbanos disputavam espaços para praticar jogos de extermínio. Os donos dos antigos oligopólios e os ditadores das regras sociais construíram o último ônibus espacial. Zarparam nele. Os apenas influentes, feudalizaram-se em propriedades campestres ou litorâneas, mas as multidões surgiram nos lugares mais remotos do planeta. Quando a água  e o ar ficaram totalmente contaminados, pareceu impossível suportar, muitos sucumbiram. Para outros foi o início da transmutação. Alguns conseguiram se  enclausurar nos andares mais altos dos prédios ainda existentes. Quando iam em busca de alimentos tinham as defesas diminuídas. As poucas áreas de plantio eram destinadas a subsistência daqueles que conseguiam defendê-las.  Malaquias só conhece este mundo. Vive dizendo ter ouvido falar das transformações. Ocorreram em menos de um século: - antigamente os alimentos eram comprados numa espécie de depósito onde ficavam expostos. As pessoas entravam e escolhiam, trocavam por tiras de papel ou escudos metálicos. Muitos não entendiam como ele sabia desses fatos e porque sempre tomava atitudes suicidas. Estava sempre espreitando os bandos urbanos ou andarilhos inconscientes para caçar e matar a fome. Continuar sobrevivendo era o grande desafio, uma espécie de aventura. Cansara daquilo e resolvera acabar com tudo de uma só vez, encontrar uma morte limpa e rápida. O que era difícil naquela época.

     Joel é o único amigo de Malaquias e um dos últimos membros do seu clã. Crê nas suas histórias e entende sua rebeldia. Quando começa a fazer presságios todos param para escutar. Querem acreditar em dias melhores e no presente transitório. Aquele era o tempo dos ajustes e redefinição do movimento das engrenagens. Agiam feito ratos desviando de armadilhas montadas.

Um comentário:

  1. essa visão catastrófica do futuro dominado pela violência,poluição e ambientes sombrios é uma característica de todos que observam com atenção os passos dados pela humanidade em direção ao futuro.M.Bom!

    ResponderExcluir